Memória ferroviária e capacitação profissional são temas de encontro com a Ferroeste

Publicado em

O resgate da memória ferroviária do Paraná e a formação profissional dos ferroviários foi tema de discussão na tarde de ontem, 13, em que estiveram reunidos o presidente da Ferroeste (Estrada de Ferro Paraná Oeste S/A), Samuel Gomes, o reitor do IFPR, Alipio Leal, pesquisadores, historiadores e profissionais da área.

O reitor Alipio Leal e o Diretor Cultural da Pró-reitoria de Relações Institucionais e Inovação (PRI), professor Emmanuel Appel, apresentaram aos convidados o objetivo da criação dos Institutos Federais e a proposta de inserção cultural do IFPR junto à comunidade em que está inserido.

“Queremos implementar uma educação integral voltada à cidadania. Temos um projeto de autonomia intelectual para os nossos estudantes que vai possibilitar a eles o acesso à melhor tradição crítica, aquilo que de melhor se produziu no cinema, teatro e literatura”, destaca Appel.

O IFPR e a Ferroeste se aproximam pelo interesse em promover o resgate da cultura do Paraná, em especial da memória ferroviária do estado. Segundo Appel, um grupo de pesquisadores já está levantando toda a cinematografia disponível sobre o assunto.

O acervo sobre a Memória deve compor o projeto “Cine Club” – previsto para iniciar no segundo semestre. Outra proposta é a organização de um Seminário para debater a Identidade Cultural do Paraná e a criação do “Museu da Memória Ferroviária”, um projeto de médio a longo prazo que reuniria diversas Instituições de pesquisa do Estado.

Formação
Outro ponto debatido abordou a questão da formação dos ferroviários. “Depois da privatização a formação profissional ficou deficiente. Não temos hoje nenhum órgão público que oferece qualificação e certifique essa categoria”, explica o presidente da Ferroeste, Samuel Gomes. O reitor do IFPR, Alipio Leal, disse ser possível já para 2010 um curso responsável e de qualidade para os ferroviários.

Também estiveram presentes no encontro Henrique Schmidlin, o deputado Péricles de Mello, Emílio Gomes, Arbus dos Santos, Paulo Ferraz, o professor Velocino Fernandes,  o pró-reitor Marco Aurélio Visintim e o professor Nilton Brandão.

Topo