Projeto “Cine Fronteira” do IFPR-Barracão tem início no sábado

Projeto "Cine Fronteira" do IFPR-Barracão tem início no sábado

No sábado, dia 18 de março, teve início o projeto de extensão “Cine Fronteira” do IFPR Campus Avançado de Barracão no auditório municipal da Prefeitura de Dionísio Cerqueira.

O projeto tem como intuito estimular a afirmação dos valores, identidades, diversidade e pluralismo cultural; discutir questões sociais a partir de produções cinematográficas; fomentar a formação de público de cinema e integrar as populações de Brasil e Argentina na região da Tri-Fronteira.

Para isso serão exibidos um total de 18 filmes ao longo de todo o ano, os quais estarão divididos em 4 eixos temáticos: “Cinema Argentino em Perspectiva”, onde se pretende apresentar produções argentinas que caracterizem certos aspectos sociais e da produção cinematográfica de tal país; “Dominações da América Latina em seu Cinema”, com filmes que tratam de aspectos e ciclos de dominação e opressão ocorridos na América Latina; “Distancias e Identidades”, no qual se buscará discutir filmes cujos personagens se mostram deslocados em relação ao meio em que vivem e buscam pela formação de sua identidade; e “A Mulher Como Protagonista de Si Mesma”, onde serão discutidos filmes em que a figura da mulher se mostra central em problemas inerentes à sua condição na sociedade.

O filme que inicia o projeto é “A História Oficial”, um drama de 1985 dirigido por Luis Puenzo, onde se vê a história de Alicia, uma professora de História de classe média que, em plena ditadura militar na Argentina, parece viver normalmente e acreditar nas informações transmitidas pelo governo ditatorial. O filme coloca em evidência uma Alicia que depois de ser confrontada por seus alunos e depois da chegada de sua velha amiga Ana (que havia sido exilada pelo regime) começa a perceber que as coisas vão além do que diz a “versão oficial”. Alicia descobre que Ana havia sido torturada pela ditadura e passa a desconfiar que sua filha adotiva possa ser uma filha de prisioneiros políticos, torturados ou assassinados que acabavam por ser levadas para adoção.

As sessões iniciam às 15:00 e ocorrerão sempre aos sábados no Auditório Municipal da Prefeitura de Dionísio Cerqueira.

Topo