Instituto Federal do Paraná Marca do IFPR INSTITUTO FEDERAL Paraná
Início notícias Seis campi participam de evento científico nacional

Seis campi participam de evento científico nacional

Publicado em

Foto de estudantes e servidores posando para a câmera na frente de um banner do evento
IFPR representado na Febrace

O IFPR esteve presente na 17ª edição da Feira Brasileira de Ciência e Engenharia (Febrace) com seis trabalhos apresentados de unidades diferentes.

Entre os projetos que representaram o IFPR estavam dois projetos indicados pelo VII Seminário de Extensão, Ensino, Pesquisa e Inovação (Se²pin) do Campus Avançado Quedas do Iguaçu e Campus Curitiba, e quatro projetos de submissão individual dos campi Campo Largo, Paranavaí, Jaguariaíva e Paranaguá. A edição 2019 da Feira contou com um total de 332 projetos desenvolvidos por estudantes de todo o país, sendo 76 da região sul e desses, 30 Paraná. O evento aconteceu de 19 a 21 de março em São Paulo (SP). Confira o evento no Se Liga!

Impacto para os estudantes

Para Arthur José Sary, estudante do curso técnico integrado de Eletrônica do Campus Curitiba e um dos desenvolvedores do projeto “Medidor de chuva dirigida”, participar da Febrace foi uma experiência única.

“A feira é muito maior do que qualquer outra que eu já participei e tem muitos projetos inovadores. Tem também muita gente passando e vendo nosso trabalho e é interessante conversar com essas pessoas e desenvolver novas ideias a partir de diferentes pontos de vista”, ressalta.

Maria Vitória de Miranda Rodrigues e Nataly Gomes Ranieri, alunas do Campus Jaguariaíva e autoras do projeto “Método de quantificação do potencial desemulsificante de bactérias para auxiliar na primeira etapa do tratamento do fluido de corte” destacaram o aprendizado conquistado nos três dias de Feira.

“Achamos o evento maravilhoso, uma grande oportunidade, sem falar no enorme aprendizado,” afirma Maria Vitória. “Só de estar aqui estamos muito felizes, foi muito bom ter vindo e representado nossa Instituição”, enfatiza Nataly.

Para Mylena Beatriz de Paula, discente do Campus Campo Largo e uma das autoras do projeto “Civilizações em conflito: os povos indígenas e as políticas de governo do Paraná (1853-1930)” a vivência foi produtiva.

“É a primeira vez que estou participando de uma edição da Febrace e tem sido uma experiência muito positiva e uma oportunidade de conhecer projetos legais e pessoas novas”, destaca a aluna.

Projetos do IFPR que participaram da 17ª Febrace

  • Campus Avançado Quedas do Iguaçu: “Fitopharma APP sobre Fitoterapia” – discentes Camila De Mari, Gustavo Pascoaloto e Giulia Marcela Arsego Jaguszeski; docente Flávio Endrigo Cechim.
  • Campus Curitiba: “Medidor de chuva dirigida” – discentes Arthur José Sary e Felipe Schwarzer Paz; docentes Dominique Elena Giordano Gonzalez e Alisson Antonio de Oliveira.
  • Campus Campo Largo: “Civilizações em Conflito: os povos indígenas e as políticas de governo do Paraná (1853-1930) – discente Mylena Beatriz de Paula; docentes Fabio Lucas da Cruz e Sandro Marcos Castro de Araújo.
  • Campus Paranavaí: “Iogurte diet probiótico: substituindo os adoçantes artificias” – discentes Guilherme Mamede da Costa e Maria Eduarda Santos Ciboldi, Marlon Memédio de Paula; docente Tatiana Colombo Pimentel.
  • Campus Jaguariaíva: “Método de quantificação do potencial desemulsificante de bactérias para auxiliar na primeira etapa do tratamtno do fluído de corte” – discentes Nataly Gomes Ranieri e Maria Vitória de Miranda Rodrigues; docentes Danielle Hiromi Nakagawa e Luís Fernando Firmino Demetrio.
  • Campus Paranaguá: “Programação em alto relevo – mesa de programação para deficientes visuais”- discentes Ilan Francisco da Silva e João Rafael Stopinski Triaquim; docentes Rafael Rogora Kawano e Hugo Alberto Perlin.

Sobre a Febrace

Promovida anualmente pelo Laboratório de Sistemas Integráveis (LSI) da Poli-USP, a Febrace é a maior feira brasileira pré-universitária de Ciências e Engenharia em abrangência e visibilidade. Seu objetivo é estimular a cultura científica, a inovação e o empreendedorismo na educação básica e técnica, despertando novas vocações nessas áreas e induzindo práticas pedagógicas inovadoras nas escolas.

 

 

Galeria de Fotos

Leia mais

Topo