Portal Padrão Barra de Identidade Visual do Governo Federal na Internet - APLICAÇÃO do Governo Brasileiro

VII Ficiencias teve início nesta terça-feira

Publicado em 06/11/2018

Um espaço para estudantes apresentarem ideias inovadoras e contribuir para o desenvolvimento da cultura científico-tecnológica. Assim é a Feira de Inovação das Ciências e Engenharias (Ficiencias), que chega à sua sétima edição apresentando ao público cerca de 150 projetos de diversas áreas do conhecimento. O evento, que ocorre em Foz do Iguaçu, teve início nesta terça-feira (06) e é realizado pelo Parque Tecnológico Itaipu (PTI), com apoio de diversos parceiros institucionais.

Até a próxima sexta-feira (11), o público poderá conferir trabalhos de estudantes de instituições brasileiras, argentinas e paraguaias. O Instituto Federal do Paraná (IFPR) é presença marcante desde a primeira edição da Feira e, este ano, conta com a apresentação de 37 projetos selecionados entre os mais de 400 trabalhos submetidos ao comitê de avaliação da Feira.

Participam da VII Ficiencias estudantes e professores dos campi Jacarezinho, Foz do Iguaçu, Paranavaí, Curitiba, Londrina, Campo Largo, Ivaiporã, Astorga, Assis Chateaubriand, Umuarama e Pitanga. Eles apresentam trabalhos derivados de projetos de Pesquisa, Extensão, Inovação e de Ensino ligados às categorias: Ciências Exatas e da Terra; Ciência da Saúde; Ciências Biológicas; Ciências Humanas; Ciências Agrárias, Engenharia e Ciências Sociais Aplicadas.

Com oito projetos selecionados, o Campus Jacarezinho destaca-se nesta edição por ser a unidade com maior número de trabalhos apresentados. Entre eles, está o intitulado “Obtenção e caracterização da barra de cereal enriquecida com a farinha da casca de jabuticaba”, apresentado pela estudante do 3º ano do curso técnico em Alimento, Nathalia Silvestre. Ela explica que a casca da jabuticaba concentra parte significativa das fibras e cerca de 40% dos nutrientes da fruta, mas mesmo assim é um subproduto descartado. “Quisemos aproveitar melhor os potenciais da casca e, para isso, obtivemos primeiro uma farinha. A partir daí, desenvolvemos uma barrinha de cereal que se diferencia das versões já comercializadas por ser menos calórica, ter propriedades antioxidantes e altamente funcionais”, enaltece a estudante.

O primeiro dia da Feira recebeu intensa visitação de escolas de ensino básico da rede pública de Foz do Iguaçu. As crianças tiveram a oportunidade de visitar os estandes e conhecer um pouco mais sobre como o conhecimento científico pode se transformar em ideias inovadoras para melhorar a sociedade.

O estande do projeto “Bandeja Biodegradável produzida a partir da do amido de Manihot esculenta”, desenvolvido pela aluna Aline Eloise da Silveira, do Campus Coronel Vivida, chamou a atenção da professora de Matemática da Escola Municipal Adele Zanotto, Elizete Pereira Barbosa, e de seus alunos do segundo ano do Ensino Fundamental. “Fico impressionada porque são estudantes muito jovens, mas que estão já estão criando soluções para os problemas ambientais. Fico feliz em poder despertar esse interesse pela ciência e pela sustentabilidade entre meus alunos”, ressalta a professora.

Leia mais

Galeria de Imagens