Portal Padrão Barra de Identidade Visual do Governo Federal na Internet - APLICAÇÃO do Governo Brasileiro

Estudantes e professores do IFPR participam do “Robótica 2017”

Publicado em 13/11/2017

Além das equipes do IFPR que foram finalistas da OBR, o Instituto Federal do Paraná enviou ao Robótica 2017 outros projetos inovadores nas áreas da Robótica e de Programação. O Instituto é uma das instituições promotoras do evento.

O Robótica 2017 é o maior evento de Robótica da América Latina. Ele consiste na união de seis eventos tradicionais da área, que, neste ano, puderam ser realizados concomitantemente em um mesmo local (a Fiep, em Curitiba).

OBR

A Final nacional da Olimpíada Brasileira de Robótica (OBR), por exemplo, que recebe competidores de todo o Brasil que foram vencedores das etapas estaduais, foi realizada dentro do Robótica 2017. A equipe “ipconfig”, do Campus Cascavel, ganhou o prêmio complementar de melhor programação. Além desta equipe, a Baymax , do Campus Umuarama, também representou o IFPR e o estado do Paraná na competição.

Os integrantes da equipe posam para a foto segurando um robô de Lego

Equipe ipconfig, de Cascavel, ganhou o prêmio de programação na Final Nacional da OBR

 

Integrantes da equipe posam para a foto segurando um robô de Lego que eles programaram para a OBR

Equipe Baymax, de Umuarama, também representou o Paraná na Final Nacional da OBR

MNR

Outro evento que integrou o Robótica 2017 foi a Mostra Nacional de Robótica (MNR). Três equipes do IFPR expuseram os seus trabalhos neste evento científico.

O Campus Londrina enviou o trabalho “Otimização de detecção de rotas e reconhecimento de objetos para a Robocup Junior Rescue por meio de processamento digital de imagem e visão computacional”, de autoria dos alunos Vinicius Gambi (foto), Gabriel Arruda e Vinicius Mariano, com a orientação do professor Augusto Nunes.

Professor e aluno posam para a foto segurando robô; ao fundo, banner traz explicações sobre o projeto

Prof. Augusto Nunes e estudante Vinicius Gambi apresentaram trabalho sobre componentes e algoritmos utilizados em robôs

Os outros projetos do IFPR apresentados na Mostra foram o “Sumato Lighting – iluminação inteligente de um aviário em Capanema (PR)”, orientado pelo professor Eduardo Liquio Takao, do Campus Pinhais, e “Smart Vent – ventilação inteligente de aviário em Capanema (PR)”, que teve orientação do professor Edimaldo Oliveira (Campus Capanema).

Larc

O IFPR também possui um grupo que se destaca em competições de dança de robôs: a equipe “Robôcaxi”, do Campus Curitiba. Esse time participou da categoria “Robocup Junior On stage” da Larc (XVI LARC – Latin American Robotics Competition), que também foi realizada no contexto do Robótica 2017. Eles ficaram em terceiro lugar na competição e receberam menção honrosa por espírito de equipe e cooperação.

Equipe posa para a foto com o Robôcaxi

Equipe Robôcaxi do Campus Curitiba se destacou na competição de dança da Larc.

 

Foto mostra os detalhes do robôcaxi

“Robôcaxi”: o robô que dança é uma mistura de robô com abacaxi.

Robótica para a vida

Os diferentes eventos e competições de Robótica têm o intuito de motivar estudantes, profissionais e pesquisadores a resolver problemas de programação e desenvolver tecnologias que, além de serem aplicadas a robôs, também podem ser úteis em diferentes aspectos econômicos ou sociais.

E é interessante notar que esse desenvolvimento não parte, apenas, de estudantes e profissionais ligados diretamente a cursos mais evidentemente ligados à Robótica, como o de Informática, por exemplo.

Em outras palavras, o que o Robótica 2017 demonstrou é que a Robótica e a Programação são interdisciplinares, como observa a professora Valéria Paixão, do Campus Pinhais do IFPR.

“Nossos alunos estão vivenciando a prática da tecnologia e, com isso, aprendendo a aplicar esse conhecimento a problemas específicos: temos alunos de Administração em equipes de Robótica e esses alunos estão trazendo esse conhecimento para a área de gestão”, comenta.

Além da aplicação à demandas e problemas locais, o conhecimento construído a partir do envolvimento em eventos na área de Robótica não fica restrito às equipes que participam ou se destacam nas competições e eventos.

O estudante Gabriel Grechuski, do último ano do Curso Técnico em Informática Integrado ao Ensino Médio do Campus Cascavel, conta que o que é aprendido também é compartilhado com os alunos mais novos: “Nós passamos para os demais alunos do campus aquilo que aprendemos, para que eles não precisem passar pelas mesmas dificuldades pelas quais passamos, mas que possam aproveitar a nossa experiência e o que já desenvolvemos e continuar avançando”.

“A gente ensina o que sabe e, com isso, todos aprendemos juntos, então a experiência que adquirimos é, de certa forma, compartilhada”, explica o estudante, que estuda a possibilidade de, no futuro, atuar na área de programação ou automação.

Eventos

Além dos eventos já citados, também integram o Robótica 2017 o XIV LARS (Simpósio Brasileiro de Robótica); o VII SBESC (Simpósio Brasileiro de Engenharia de Sistemas Computacionais) e o XIII WRE (Workshop de Robótica Educacional).

Leia mais

Galeria de Imagens