Portal Padrão Barra de Identidade Visual do Governo Federal na Internet - APLICAÇÃO do Governo Brasileiro

CEEIFPR tem início em Assis Chateaubriand

Publicado em 10/08/2017

Na tarde de quarta-feira (09), teve início o Congresso Estadual dos Estudantes do Instituto Federal do Paraná. Cerca de 200 estudantes de 23 dos 25 campi da instituição estão reunidos em Assis Chateaubriand, no Oeste do Paraná, para participar do congresso e debater sobre o movimento estudantil no IFPR.

A abertura do evento teve início às 16h, no auditório da Prefeitura Municipal. A cerimônia contou com a presença da estudante do Campus Paranaguá, Brenda Letícia Souza da Silva, representante dos estudantes universitários na Comissão de Acompanhamento das Relações Estudantis (Care) do IFPR, da estudante do Campus Curitiba, Izabela Marinho, presidente da União Paranaense dos Estudantes Universitários (UPE), e da estudante do Instituto Federal de São Paulo (IFSP) Camila Lanes, presidente da União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes).

Também estiveram presentes o reitor substituto pro tempore do IFPR, Paulo Tetuo Yamamoto, a secretária municipal de Assistência Social e da Mulher, Franciane Micheletto, o diretor-geral do Campus Assis Chateaubriand, José Provetti Júnior e do presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Educação Básica, Técnica e Tecnológica do Estado do Paraná, Otávio Sampaio.

Na abertura, o reitor substituto pro tempore lembrou aos estudantes que eles têm, nas instâncias consultivas e deliberativas do IFPR, espaços para participação e deliberação. “Os estudantes têm três assentos no Conselho Superior, mesmo número destinado aos docentes e aos servidores técnico-administrativos. Nos Conselhos de Ensino e Pesquisa e de Administração e Planejamento são dois assentos, mais uma vez o mesmo número destinado aos docentes e técnicos-administrativos. Vocês também têm representação no Conselho Diretor de Campus e nos colegiados de curso. O que queremos é que, neste Congresso, vocês coloquem esse assunto em debate e encontrem o caminho para serem efetivamente atuantes nestes espaços de representação”.

Yamamoto também destacou o interesse da atual gestão do IFPR em promover o debate estudantil. “Este Congresso também é uma conquista da administração. Nós sonhávamos com a participação dos estudantes e estaremos abertos a essa discussão”, afirma.

Em busca de uma identidade e de uma forma para o movimento estudantil do IFPR

Após a cerimônia de abertura, teve início a primeira conferência do Congresso. “Quem vai conduzir esse congresso são os estudantes. A partir dessa conferência, quem conduz as atividades são vocês, com autonomia de movimento estudantil, para definir como será o movimento no IFPR”, afirmou Ezequiel Moura, membro da Care.

Além da atuação dos estudantes, a busca de uma identidade para o movimento estudantil no IFPR promete dar o tom às discussões do evento. De acordo com Paulo César Medeiros, presidente da Care, o CEEIFPR tem como objetivo permitir que os estudantes promovam o debate e encontrem um caminho para o movimento estudantil de uma instituição de ensino que reúne diferentes níveis e formas de oferta de ensino.

“O objetivo do congresso é que eles decidam como o movimento estudantil no IFPR deve funcionar, dado que o IF tem estudantes de todos os níveis e carece de uma organização que seja diversa, tanto quanto, dar visibilidade aos estudantes. Isso é um desafio”. De acordo com Medeiros, este é um momento de definições. “Qual a pauta desse movimento? Que organização queremos? Nossa esperança é que amanhã [sexta-feira, 11] eles tenham a condição de fazer a aprovação das pautas principais do movimento estudantil do IFPR”.

Protagonismo estudantil

A conferência de abertura contou com a participação de lideranças estudantis de diversos campi. Na voz dos estudantes, também ressoa a esperança de construção de um movimento estudantil que represente a diversidade dos campi. “Antes de me reunir com o pessoal em Curitiba, tinha impressão que o IFPR era uma ilha. Quando eu participei da primeira reunião da Care, conheci as realidades de outros campi, percebi que somos um arquipélago – ilhas com algumas especificidades, mas também com caraterísticas em comum. E reunidos por essas características comuns, poderemos ser reconhecidos como um continente”, afirmou o estudante Guilherme Nascimento Braga, do 3º ano do Curso Técnico em Biotecnologia do Campus Londrina e presidente do grêmio estudantil do campus.

Para a estudante Izabela Marinho, do curso de Tecnologia em Gestão Pública do Campus Curitiba, o congresso se concretiza na unidade. “Devemos entender a importância do fortalecimento da Rede Federal, dos Institutos Federais, de cumprir o papel da interiorização do ensino. O Congresso vem para juntar toda essa galera que tem interesse, vontade de transformar e concretizar isso dentro do movimento estudantil”.

“O movimento estudantil não está surgindo agora, o que está acontecendo é que o movimento que não tinha identidade está se formando hoje”, lembra o estudante Matheus Daltoé Assis, do segundo semestre do curso Técnico em Orientação Comunitária e membro do grêmio estudantil do Campus Assis Chateaubriand.

Programação

Na manhã desta quinta-feira (10), os estudantes participaram da mesa-redonda “Unidade do Movimento Estudantil Secundarista e Universitário no IFPR”, seguida de grupos de trabalho divididos por temática. À tarde, seguem os grupos de trabalho e as oficinas, espaços em que se darão a construção propostas de organização e de pautas. O resultado dessas discussões será apresentado na plenária final do congresso, na manhã desta sexta-feira (11), dia do estudante.

Confira aqui a programação do evento.

Leia mais

Galeria de Imagens